Luto! Morre único técnico que dirigiu 'três grandes' na Espanha; Mazola faz homenagem

Radomir Antic faleceu nesta segunda-feira (06), aos 71 anos, mas a causa da morte ainda não foi confirmada

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 06 (AFI) - Mais uma notícia triste abalou o mundo do futebol na tarde desta segunda-feira (06). Único treinador que comandou os três grandes clubes da Espanha na história: Real Madrid, Barcelona e Atlético de Madrid, o sérvio Radomir Antic faleceu aos 71 anos. As causas da morte ainda não foram confirmados, há a possibilidade dele ter sido infectado pelo novo coronavírus.

Antic teve mais sucesso no Atlético de Madrid, onde teve três passagens. Na primeira, entre 1995 e 1996, ele levou o clube colchonero aos títulos do Campeonato Espanhol e da Copa do Rei daquela temporada. Já em 1998 e 2000, ele teve outras duas passagens. Em ambas, foi contratado para salvar o clube do rebaixamento e apenas em uma teve êxito.

Radomir Antic faleceu nesta segunda-feira (06), aos 71 anos
Radomir Antic faleceu nesta segunda-feira (06), aos 71 anos

Anos antes, ele comandou o Real Madrid, chegando em 1990 e ficando à frente dos Merengues por duas rodadas, mas não teve muito sucesso, tendo uma passagem discreta. Já no Barça, foi contratado apenas para comandar a equipe no final da temporada de 2002/2003, onde classificou o time catalão para a Liga Europa da épica.

Radomir Antic também esteve presente em uma Copa do Mundo, em 2010 na África do Sul, onde comandou a Seleção Sérvia, mas não passou da primeira fase, ficando na última colocação do Grupo D.

Mazola e Antic em 1998
Mazola e Antic em 1998

CARINHO ESPECIAL E HOMENAGEM
Um dos técnicos brasileiros que mais sentiu a perda de Radomir Antic foi Mazola Júnior. Os dois ficaram amigos em 1998, quando Mazola cuidou de perto da recuperação de Juninho Paulista, que na época era atleta de Antic no Atlético de Madrid e aproveitou para fazer uma espécie de estágio com o treinador sérvio.

"Lembro quando fui para Madrid, no primeiro treino que acompanhei, ele me chamou para dentro do campo, quis saber de todos os detalhes de como eram feitos os treinos com Juninho Paulista. Tanto que chegamos a jantar diversas vezes juntos, ele era um cara espetacular, aprendi muito com ele. Ele tinha treinos excelentes e mesmo famoso na época, tinha uma humildade impressionante. Fica aqui a minha tristeza e luto com essa perda".