Dirigente do Flamengo causa polêmica com declaração preconceituosa sobre a torcida

Cacau Cotta acredita que protesto nos muros da Gávea foram ato político

por Agência Futebol Interior

Rio de Janeiro, RJ, 22 (AFI) - O Flamengo não tem tropeçado apenas dentro das quatro linhas. Seus dirigentes também costumam bater a cabeça e até mesmo perder a razão. Foi isso que aconteceu com Cacau Cotta, diretor de relações externas do Rubro-negro. Ele deu uma declaração polêmica e preconceituosa em relação a própria torcida e viu a fúria dos flamenguistas.

"Do jeito que foi escrito, Mickey todo certinho, não foi a torcida. Aquilo é político", disse Cacau no programa "Os Donos da Bola" em referência à pichação nos muros da Gávea.

Logo após esta declaração que leva a entender que o torcedor do Flamengo não tem cultura ou sequer saber escrever, a internet desabou sobre o dirigente. No mesmo programa, ele tentou amenizar, mas pouco adiantou.

"Quando falei do Mickey, parece que o protesto foi escrito no Word, que tinha um papel todo retinho, as letras bem feitas, uma coisa bem programada por um profissional, não é aquele torcedor que vai ali. Por isso, falei que era político. Não estou de maneira alguma desmerecendo o torcedor, querendo chamar de burro, até porque eu e qualquer um aqui também não saberia fazer desse jeito. Daquela maneira, foi profissional, dirigida. Não tenho capacidade para isso", completou.

Dirigente afirmou que pichação nos muros da Gávea foi ato político!
Dirigente afirmou que pichação nos muros da Gávea foi ato político!
A torcida não está nada satisfeita com a diretoria rubro-negra e nem mesmo com o técnico Abel Braga. Sua cabeça já foi até pedida por parte dos torcedores. Derrotado pelo Atlético-MG, por 2 a 1, o Mengo parou nos sete pontos, na modesta 9ª colocação.

O próximo desafio será no domingo, às 16 horas, contra o Athletico-PR no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, pela 6ª rodada do Brasileirão.