Sem auxílio, clube gaúcho clama à CBF: "Quadro assustador"

O Aimoré mostrou preocupação com a situação do clube devido à pandemia

por Agência Futebol Interior

Porto Alegre, RS, 07 (AFI) - O presidente do Aimoré, Ronaldo Vieira, teme pelo futuro do clube após pandemia causada pelo novo coronavírus. O mandatário clamou ajuda à Confederação Brasileira de Futebol (CBF), uma vez que o auxilio servirá apenas para times que disputam as Séries C e D.

Como o Aimoré não está no cenário nacional, Ronaldo Vieira não sabe como arcar com salários de jogadores e funcionários neste tempo de crise. O clube aguarda ainda um respaldo da Federação Gaúcha de Futebol para saber qual será o futuro da competição.

Aimoré está em situação delicada
Aimoré está em situação delicada
"É uma ajuda que vai auxiliar muito os clubes das Séries C e D, mas não chegará muito aos clubes que tem apenas os estaduais para disputar. Aqui no Sul, a sorte é que a Federação faz de tudo para ajudar”, declarou o presidente do Aimoré, Ronaldo Vieira, em entrevista à Rádio Grenal.

“É um período de incerteza, sem saber quando o futebol retorna, mas as despesas seguem normalmente. O quadro para nós é assustador. Nos criticaram que renovamos com os jogadores, mas no próximo dia 20 teremos uma reunião na Federação. Se for definido que o Gauchão vai voltar, vamos precisar ter elenco”, concluiu.

APELO!
"Estamos apelando para a Federação e para a CBF para que ajudem os clubes sem divisão, os times que tem apenas os estaduais pra disputar, pois estamos sem recursos e as contas vão chegar. A sugestão do Aimoré que poderiam abrir uma linha de crédito, com juros acessíveis, sem burocracia, com seis meses de carência e um prazo de um a dois anos pra pagar. Minha preocupação é que os jogadores recebam. Eles tem famílias", finalizou.

Antes da paralisação, o Aimoré estava na quinta posição do Grupo B, com cinco pontos, a quatro do líder Grêmio.