Médico confia nos protocolos da FPF e não vê SP com mesmo risco de SC

Moisés Cohen garantiu que estão seguindo à linha todos os cuidados para evitar surto no futebol

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 14 (AFI) - O surto de coronavírus em jogadores da Chapecoense, que fez com que o Campeonato Catarinense fosse paralisado novamente por mais 14 dias, gerou preocupações em outros Estados, incluindo, em São Paulo. No entanto, o médico da Federação Paulista de Futebol (FPF), Moisés Cohen, deixou claro que está confiante nos Protocolos de Segurança apresentados pela entidade.

"Estamos fazendo de tudo para evitar que a mesma situação ocorra aqui. Claro que é possível, mas trabalhamos para diminuir essa possibilidade. Sabemos que o vírus não vai embora de um dia para o outro, por isso temos que saber conviver com a doença", falou.

Moisés Cohen, médico da FPF
Moisés Cohen, médico da FPF
"Os atletas estão concentrados, estamos tomando todos os cuidados necessários para evitar qualquer tipo de surpresa e realizamos várias baterias de testes. Infelizmente, um caso ou outro, vai ocorrer, mas procuramos evitar o máximo", completou.

PAULISTÃO
Conforme o cronograma da Federação Paulista de Futebol, o Estadual voltará no próximo dia 22 de julho. Até o momento são poucas as cidades que podem receber as partidas, entre elas, São Paulo, Santos, Diadema, Barueri e Santo André.

Os demais clubes trabalham com um 'plano B' caso não aconteça uma melhora no 'Plano São Paulo'. Algumas cidades, inclusive, estão na chamada 'zona vermelha', com poucos leitos de UTI.