Segundona: Treinador do União Mogi comenta dificuldades do período de pandemia

A Segunda Divisão do futebol paulista ainda não tem data para começar e treinadores e clubes vivem momento de expectativa e espera

por Victor de Andrade / O Curioso do Futebol

Mogi das Cruzes, SP, 14 (AFI) - Os treinadores da Segunda Divisão Paulista vivem a expectativa do fim da quarentena por conta do coronavírus para voltar os trabalhos e iniciar a competição. Claudio Matosinhos, que voltou para o União Mogi nesta temporada, em entrevista ao site O Curioso do Futebol, comenta sobre o panorama do futebol nestes tempos de Covid-19 e diz como acha que o esporte vai voltar.

Matosinhos conta como vem sendo suas atividades neste período de quarentena. "Eu venho fazendo algumas análise, vendo alguns jogos antigos da própria Segunda Divisão Paulista, fazendo algumas leituras, acompanhando a situação com a Federação, vendo as videoconferências e as lives. Assim, fico cerca de 80% do meu tempo dentro do futebol para não esquecer, sempre atento. É isto que tenho vivido neste tempo de pandemia. Além da teoria, também me preparo fisicamente", explicou.
O treinador fala que está falando sempre com os atletas e a comissão técnica do União Mogi. "Venho mantendo contato com os atletas e a comissão técnica. Nós temos um grupo e sempre me perguntam como vai ficar a situação. Passo algumas publicações e informações que vêm da Federação e falo para eles irem se preparando em casa. Sabemos que não é a mesma coisa, mas é importante vir mantendo atividades físicas para quando ter a volta, eles estarem bem preparados", afirmou.
O profissional está acompanhando a volta do futebol na Europa. "Os países europeus estão bem avançados no combate e controle da pandemia de covid-19. Infelizmente, o brasileiro, em boa parte, é acomodado, teimoso, e não se preocupa muito com o problema que estamos passando. Alguns até se preocupam, mas outros não e isto atrapalha a volta das atividades, como o futebol. Na Europa é diferente, já são mais avançados e conscientes, além de terem sido rigorosos no combate ao vírus. Por isto la saiu na frente", explanou.
Claudio Matosinhos voltou ao União Mogi para 2020
Claudio Matosinhos voltou ao União Mogi para 2020
Matosinhos também falou sobre o aumento de substituições nas partidas. "Eu vejo que estamos de frente de uma modificação na regra do futebol que é uma melhoria. Isto é uma precaução para qualquer tipo de incidente relacionado a lesões, precavendo a saúde e o bem-estar do atleta, como comissão técnica e todos os envolvidos no esporte. Para mim, melhorou! Não será a mesma coisa de antes, é claro, teremos que nos adaptar, mas para nós, treinadores aumenta o leque de opções", argumentou.
VOLTA DO FUTEBOL
O treinador também fala sobre quando acha que o futebol volta no Brasil. "É complicado! Você vê que a vigilância sanitária ou outros órgãos de saúde recomendam a forma como deve ser tratada a questão, com restrições e quarentena, mas não são todos que seguem, se acomodando e teimando. Fica difícil enxergar uma volta. Possa ser que seja para agora, como até que não aconteça. Já tentaram voltar algumas vezes e tiveram que recuar. Então, é difícil de responder quando será essa volta. Eu ainda acho que vá demorar um pouco, mesmo com os acordos entre a Federação e os órgãos, pois têm muitos clubes que não têm condições de aplicar o protocolo. Mas um dia voltará", diz.
Ele também diz como enxerga o esporte pós-pandemia. "O futebol pós-pandemia será muito diferente, pois terá uma série de adequações a serem feitas. A primeira delas será que, pelo menos a princípio, não terá torcedores nos estádios e isso já vai mexer com o psicológico do atleta, pois eles são preparados para jogador com a pressão, seja a favor ou contra, e não será a mesma coisa. A pandemia veio para todos e o futebol terá que se adaptar, perdendo um pouco de interesse por parte de quem acompanha. O torcedor gostar de ir no estádio, vibrar e como neste ano não vai poder vê o seu time do coração, vai ficar complicado. Já para nós, comissão, é bom e ruim ao mesmo tempo, pois poderemos trabalhar em paz, tranquilo, mas também queremos o torcedor nos apoiando. Além disso que falei, tem a questão financeira. Não será fácil este retorno", falou.
Matosinhos deixa também sua mensagem. "Agradeço a entrevista. E espero que todos se unam, orem, para que tudo volte a normal, com todos fazendo as suas atividades, acho que é isso que queremos. E que vocês da imprensa possam estar trabalhando para transmitir informações para o público", finalizou.