Presidente de clube da Série C critica repasse da CBF: "Ficou abaixo"

Vila Nova tem dívidas trabalhistas, e o montante pode nem chegar aos cofres goianos

por Agência Futebol Interior

Goiânia, GO, 07 (AFI) - Nem todos os clubes elogiaram o repasse da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). A entidade nacional destinou R$ 19 milhões para clubes das Séries C e D do Brasileirão, além das Séries A1 e A2 do Brasileirão Feminino. O Vila Nova receberá R$ 200 mil.

"Ficou abaixo, pelo potencial que a CBF tem de ajudar os clubes. Não deixa de ser valoroso, mas seria necessária uma verba maior. Esperávamos que poderia ser mais. Quem sabe, até de forma mensal. Do jeito que será feito, não custeia nem 30% da despesa do clube", criticou Hugo Jorge Bravo, presidente do Vila Nova, ao Globoesporte.com.

Nada satisfeito. (Foto: Comunicação/Vila Nova)
Nada satisfeito. (Foto: Comunicação/Vila Nova)

O mandatário colorado ainda poderá ficar sem ver a cor do dinheiro. Afinal, o Vila Nova tem dívidas trabalhistas e o montante pode nem chegar aos cofres goianos.

"Entendemos que não deve haver penhora, pois não se trata de um transação esportiva em favor do Vila Nova. Esse repasse da CBF é um valor a título de doação para um fim específico, que é a folha de pagamento, e que está sendo repassado para atender a uma situação de calamidade pela qual passam todos os clubes. Entendemos, então, que a Justiça não irá interferir", opinou.