Após queda, técnico do XV fala em 'teste de fé' e garante time motivado na Série A2

Tarcísio Pugliese mostrou confiança na busca do principal objetivo do time: o acesso

por Agência Futebol Interior

Piracicaba, SP, 27 (AFI) - Sem divisão quando se trata de Campeonato Brasileiro, o XV de Piracicaba jogou a Copa do Brasil com muita seriedade e cobrou caro a eliminação nos pênaltis para o Juventude na tarde desta quarta-feira, em pleno Barão de Serra Negra. No tempo regulamentar, as equipes ficaram no empate por 1 a 1. A equipe de Caxias do Sul enfrentará o América-RN, na sequência, e embolsou uma premiação de R$ 1,5 milhão.

Após o apito final, o técnico Tarcísio Pugliese concedeu entrevista coletiva e não mostrou frustração com a queda. O treinador tratou a eliminação como 'teste de fé', mas deixou claro que o time saiu de campo com a motivação em alta por ter feito uma grande partida diante de um adversário de Série B do Campeonato Brasileiro.

"É difícil digerir ou entender. Acabou sendo um teste de fé. Tivemos muitos questionamentos neste início de ano, quando ficamos quatro jogos sem vencer. Mas eu acredito muito no nosso trabalho e vamos mantê-lo. Temos fé no que a gente faz. Criamos uma expectativa de passar de fase. Iríamos enfrentar o América-RN ou River-PI, adversários difíceis, porém, viáveis. Tínhamos a intenção de fazer história e ajudar na evolução física do clube", falou o treinador, que mostrou muita confiança apesar da eliminação.

Tarcisio Pugliese falou sobre eliminação do XV
Tarcisio Pugliese falou sobre eliminação do XV
"A motivação é total. Fomos contratados para disputar o Campeonato Paulista e colocar o XV na Série A1. Copa do Brasil era um campeonato de luxo. Conseguimos passar para a segunda fase diante de um time que disputava a Série B do Brasileiro. Hoje pegamos outro time da Série B, de muita tradição e alto investimento. Nunca escondemos que o foco é na Série A2. Queríamos passar, pois iria gerar um aporte financeira muito grande, a ser usado na estrutura física do clube", completou.

Com Tarcísio Pugliese, o XV conheceu sua terceira eliminação, mas sempre em fases decisivas. No Campeonato Paulista da Série A2 de 2019, o time piracicabano caiu para a Inter de Limeira, também nos pênaltis. Na Copa Paulista, a equipe acabou perdendo para o São Caetano na decisão do torneio. Nesta quarta, ficou na segunda fase da Copa do Brasil, competição que disputou pela última vez em 1991.

Confira outros pontos citados pelo treinador durante a entrevista, acompanhada in loco pelo Portal Futebol Interior:

DESGASTE
"Fizemos um bom jogo contra uma equipe muito forte. Os atletas estão desgastados com a sequência de jogos. A maioria não está acostumada. Passou um pouco do limite de partidas. Conseguimos fazer um jogo muito forte. Eles tiveram um bom tempo para se preparar, enquanto que nós vínhamos atuando na Série A2."

FASE POSITIVA
"Nossa equipe é muito forte, competitiva, com jogadores de qualidade técnica. Essa evolução vem acontecido, mas temos muito a melhorar. Já são sete jogos sem perder, é algo expressivo. Enfrentamos dois times de Série B do Brasileiro, que nos deixou com a confiança em alta. Temos condições de subir para Série A1. Não é fácil. Tem ótimas equipes. O São Caetano, por exemplo, está se fortalecendo. E o São Bento tem uma das melhores equipes no papel."

DESFALQUES
"Vamos sofrer novamente com desfalques. Perdemos o Caio Mancha e o Jefferson Feijão durante a partida e ainda tem o Bruno Lima, que jogou no sacrifício. Ele seria substituído, mas se propôs a ficar até o fim com a lesão do Feijão. Certamente não contaremos com ele contra o Sertãozinho."

SEMELHANÇA
"Não vejo (a eliminação) com semelhança a do ano passado (diante da Inter de Limeira), com exceção dos pênaltis. Tivemos sim um teste de fé."

LANCE DO GOL
"Foi um erro de marcação, gerado por desatenção. Depois que fizemos o gol, paramos de jogar. Estava sob o controle, mas demos espaços para o Juventude. Não foi nosso perfil. Não foi uma postura a qual estamos acostumados. Somos um time ofensivo, que sempre busca o gol."